2022-02-28
Рэферэндум у Беларусі.

o dia 27 de fevereiro foi o principal dia de votação em Belarus, num referendo falso iniciado por Lukashenko. Havia apenas uma pergunta no boletim de voto: “O senhor aceita as emendas e aditamentos à Constituição da República de Belarus”? O dia começou com bastante tranqüilidade. Este não é um domingo simples, o que foi lembrado pelos veículos especiais dos órgãos de aplicação da lei, que os bielorrussos viram nas ruas das cidades desde a própria manhã.

Às 14h00 começaram a se formar filas de espera nos postos de votação. Foi assim que os bielorrussos responderam à proposta das forças democráticas da Bielorrússia de virem votar neste preciso momento para expressar seu desacordo com a participação da Rússia na guerra contra a Ucrânia. As pessoas gritavam “Não à guerra!”, “Glória à Ucrânia!” e “Zhyve Belarus!”, algumas levavam bandeiras ucranianas e da BSB. Mais tarde, algumas pessoas marcharam dos postos de votação ao longo das ruas de suas cidades, com carros de passagem apoiando-os com seus sinais. Uma coluna de pessoas marchou do lado de fora da estação de metrô Vostok, em Minsk, carregando a bandeira ucraniana e entoando “Não à guerra!

As forças de segurança reagiram à atividade dos bielorrussos. Em muitas cidades começaram as detenções dentro dos postos de votação, perto deles, assim como simplesmente na rua por dizer “protesto contra a guerra”, por participar de ações antiguerra, por sinalizar carros, por fotografar cédulas eleitorais e até mesmo enquanto aguardavam sua vez de votar. Em Minsk, os agentes da lei levaram uma mulher que estava levando seu cachorro sozinha até uma van da polícia. Em Grodno várias pessoas foram detidas, segundo testemunhas, “por se recusarem a se afastar do local de votação”

Por volta das 17h em Minsk, um grande número de manifestantes da oposição se reuniu perto do Gabinete Geral do Ministério da Defesa. Muitos carregavam bandeiras ucranianas e entoavam slogans antiguerra. Todas as ruas centrais da capital estavam cheias de carros de buzina. Em alguns carros, as pessoas estavam tocando o hino ucraniano. O protesto foi desfeito pelas forças de segurança em uniformes pretos e de oliva sem insígnias: aparentemente tanto a polícia de choque quanto as tropas internas. Eles cercaram o povo e agarraram todos, menos os mais velhos.

As pessoas continuaram a levar flores para a embaixada da Ucrânia, como nos dias anteriores. Toda a cerca perto da embaixada estava coberta de flores. Mas mesmo ali chegaram os agentes da lei para dispersar os manifestantes pacíficos.

Segundo o Ministério de Assuntos Internos, 800 pessoas foram detidas no principal dia de votação em Belarus. Nem todos os nomes dos detentos são ainda conhecidos.