2021-06-22
Picture shown is for illustrative purpose only.

A Administração Popular Anti-Crise e o Fundo de Solidariedade Esportiva de Belarus apelaram para que o Comitê Olímpico Internacional, o Serviço de Transmissão Olímpica e o Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio negassem à televisão estatal belarussa e a outras mídias estatais do país o direito de transmitir os Jogos Olímpicos.

Numa situação em que as autoridades belarussas privam os cidadãos de liberdade de expressão e perseguem ilegalmente jornalistas independentes, as empresas estatais de televisão e imprensa de Belarus praticam tortura, divulgando confissões obtidas sob coação. Um exemplo é a entrevista de Raman Pratassêvitch no canal ONT, bem como sua participação em uma “coletiva de imprensa” do Ministério das Relações Exteriores de Belarus.

Um torneio tão importante não pode ser coberto por empresas associadas à tortura e outras formas de repressão do regime de Lukashenka. A Administração Popular Anti-Crise insiste na inadmissibilidade de conceder à TV estatal de Belarus o direito de transmitir os Jogos Olímpicos.