2022-02-13
Alana Hebremaryiam, imagem de acervo.

De acordo com a Associação de Estudantes de Belarus, onze estudantes e uma professoras condenados no “caso de estudantes” não recebem nenhuma carta ou cartão além dos enviados por parentes próximos. A associação também informa que todas as cartas contendo imagens de corações são destruídas pelos censores.

Atualmente, 53 estudantes são reconhecidos como presos políticos em Belarus, entre eles a membra do Conselho de Coordenação Alana Hebremaryiam, as voluntárias do centro de direitos humanos Viasná, Kséniya Syramalot e Marfa Rabkova, bem como a cidadã russa Sofia Sapega, que foi presa após o pouso forçado de um voo da Ryanair. O estudante de química de 20 anos e multibolsista Artsiom Bayárski recebeu a mais dura sentença: foi condenado a 5 anos em uma colônia penal de regime restrito por supostamente ser administrador de um chat de protesto.