2021-12-09
Artsiom Bayárski.

Artsiom Bayárski, um prisioneiro político de 20 anos, de Hrodna, foi sentenciado a cinco anos em uma colônia de regime geral sob a acusação de liderar uma “formação extremista”. O julgamento foi a portas fechadas, mas sabe-se que o assunto diz respeito ao funcionamento dos canais de oposição do Telegram.

Bayárski era um estudante do segundo ano da Faculdade de Química da Universidade Estatal de Belarus, quatro vezes bolsista do fundo presidencial de apoio a jovens talentos, sonhava em criar medicamentos para doenças incuráveis. Em agosto de 2020, ele, como muitos outros alunos, recusou sua bolsa presidencial. Na primeira detenção, após uma marcha de protesto há um ano, ele foi condenado a 15 dias de prisão. Em seguida, contou sobre os insultos, ameaças e espancamentos a caminho da delegacia. Depois de ser detido, ele foi expulso da universidade.

Em seguida, ele foi preso em março de 2021. Para obter um vídeo de confissão, ele foi espancado com um cassetete. Como em outros casos semelhantes, o processo judicial pelo fato de ele ter sido espancado não foi iniciado.

Em novembro de 2021, 47 funcionários da Academia de Ciências da Rússia assinaram uma carta aberta em apoio a Artsiom Bayárski, que exigia sua libertação. Em setembro de 2021, ele foi matriculado no programa de bacharelado em Biotecnologia da Universidade de Vitaut, o Grande, em Kaunas, na Lituânia. Ele poderá continuar seus estudos após sua libertação.

Artsiom ouviu o veredito com dignidade: conseguiu dizer que “Belarus vai se tornar um país normal de qualquer maneira”.