2021-06-07
Dzmitry Kulakouski com sua esposa.

Dzmitry Kulakouski trabalhou na polícia desde 2006, chefiou o departamento de investigação criminal da Direção das Relações Interiores do Distrito Zavadski, em Minsk. Após as eleições de 2020, ele afirmou que não concordava com as ações das autoridades e renunciou.

Em outubro de 2020, ele foi detido sob acusação pelo Código Civil e passou quase um mês no centro de detenção na rua Akrestsin, onde foi tratado de tal forma que teve que engolir objetos de metal em protesto.

Mais tarde, ele foi condenado em um processo criminal por supostamente insultar um funcionário do governo. Kulakouski não se declarou culpado, alegando que as provas contra ele haviam sido fabricadas. No julgamento, ele disse que foi mantido em uma cela, de castigo, por 25 dias em condições desumanas.

Defensores dos direitos humanos reconheceram Kulakouski como preso político. Dzmitry foi condenado a 2 anos de campo de trabalho forçado. Ele estava em liberdade aguardando um recurso. Em 20 de maio, ele foi detido por suposta insubordinação e punido com 15 dias de prisão. Kulakouski tem sérios problemas de saúde e quadro avançado de diabetes. Para chamar atenção e ajuda, ele engoliu uma colher. Em 5 de junho, Kulakouski deveria ser solto, mas em 4 de junho, foi enviado para cumprir a pena no campo de trabalho forçado em uma instituição correcional.