2022-02-14
Imagem ilustrativa.

A Letônia, a Lituânia e a Estônia solicitaram à OSCE que se reunisse com Belarus e outras partes interessadas no quadro do Documento de Viena. Eles exigiram que Belarus fornecesse mais informações sobre seus exercícios militares conjuntos em larga escala com a Rússia, que começaram em 10 de fevereiro de 2022. Em 9 de fevereiro, os três países bálticos pediram a Belarus explicações sobre o deslocamento incomum e não planejado de tropas em exercícios no território de Belarus, o uso de equipamentos militares e o retorno planejado das tropas aos seus locais de implantação permanente. Em 11 de fevereiro, Belarus respondeu ao pedido, mas a Letônia, a Lituânia e a Estônia o consideraram insatisfatório.

Uma solicitação semelhante foi enviada da Ucrânia para a Rússia. As reuniões do Documento de Viena deveriam ocorrer em 14 e 15 de fevereiro de 2022, respectivamente, mas Belarus não forneceu nenhuma informação, e a Rússia recusou a participação.

A França, em nome da União Europeia, incitou Belarus a garantir total transparência de suas atividades militares e das atividades das Forças Armadas Russas em seu território próximo à Ucrânia. A secretária de Relações Exteriores do Reino Unido, Liz Truss, em sua declaração observou que a recusa da Rússia em participar no processo da OSCE demonstra o seu desprezo pelos compromissos que tinha assinado voluntariamente.

O Documento de Viena, de 2011, sobre Medidas de Fortalecimento da Confiança e Segurança prevê que os países se informem sobre atividades militares envolvendo mais de 9.000 pessoas, incluindo tropas de apoio. De acordo com o documento, um Estado participante da OSCE com preocupações sobre atividades militares incomuns tem o direito de apresentar um pedido de esclarecimento.