2022-03-04

Líder da oposição belarussa Sviatlana Tsikhanouskaya fez pronunciamento dirigido ao povo ucraniano e ao presidente Volodymyr Zelensky. Ela gravou seu apelo em belarusso, a língua mais próxima ao ucraniano. Ela contou o que os belarussos estão fazendo para que os dois povos permaneçam sempre aliados e ressaltou que a participação de Belarus na guerra contra os ucranianos está na consciência do regime de Aliaksandr Lukashenka.

“Nós os admiramos, queridos ucranianos e Sr. Presidente. Suas ações são um exemplo da unidade da liderança do estado e de todo o povo. Nós, belarussos, somos contra o regime que já entregou parte da soberania de nosso país para se tornar parte da agressão contra seu país”, disse Tsikhanouskaya.

Ela enfatizou que um movimento anti-guerra havia começado em Belarus. Em uma atmosfera de medo, dezenas de milhares de belarussos foram às ruas para protestar após um expurgo total da sociedade civil e da mídia independente. 900 pessoas foram detidas em dois dias e todas sabiam das consequências.

Além disso, de acordo com Tsikhanouskaya, dentro do país, belarussos danificam os trilhos onde passaria o equipamento militar. Um corpo nacional está sendo formado por voluntários e militares, que se recusaram a cumprir as ordens criminais de Lukashenka para participar das hostilidades do lado da Ucrânia. Os belarussos da Ucrânia tornam-se voluntários, ajudam na defesa territorial. Belarussos no exterior ajudam refugiados e fornecem equipamentos e medicamentos.

“Há cada vez mais belarussos que agem assim, e eles são seus aliados. Agora e para sempre”, concluiu Tsikhanouskaya seu sincero discurso.