2022-04-03
Imagem ilustrativa

Desde o início da invasão do exército russo na Ucrânia, inclusive a partir de território belarusso, uma “guerra ferroviária” eclodiu em Belarus. Para retardar e dificultar o movimento do equipamento militar russo para a Ucrânia, os belarussos têm desativado o equipamento. O formato mais comum é a destruição (fogo posto) de armários de revezamento para sinalização, centralização e bloqueio (SCB). Cada um desses gabinetes custa cerca de 50 mil dólares estadunidenses e apenas algumas poucas instituições no país podem consertar esses componentes.

Apesar da intimidação por parte das autoridades judiciárias, as atividades partidárias continuam sem abrandamento. No dia 15 de março um gabinete de revezamento da SCB foi danificado na linha Damanava-Liassnáya, no dia 16 de março – na linha Farynava-Zahatsye, e no dia 17 de março – na estação Orsha-Tsentrálnaya. Na noite de 25 de março, dois armários de revezamento foram queimados na linha Barýssau – Navassády. Dois outros armários foram queimados no dia 28 de março entre a parada Savietski e a estação Viaréitsy.

Em busca de “guerrilheiros”, a KGB realiza verdadeiras batidas nas cidades onde houve sabotagem. Eles detêm trabalhadores ferroviários, revistam suas casas e verificam seus telefones. Os mandados de busca incluem artigos tão graves como espionagem, alta traição e atos de terrorismo. Pelo menos 30 funcionários ferroviários foram detidos em toda Belarus nos últimos dias

Na noite de 30 de março de 2022, um canal telegráfico pró-governamental afiliado às forças do ditador publicou “vídeos penitenciais” de 28 pessoas – funcionários ferroviários de diferentes idades, especialidades e de diferentes cidades. Alegadamente, todos eles eram assinantes do grupo do Telegram “Comunidade dos trabalhadores ferroviários de Belarus” reconhecida como uma formação extremista em Belarus. Além disso, mais quatro trabalhadores ferroviários foram detidos em Hómel, pelo menos um deles foi colocado no centro de pré-detenção do KGB.

Além disso, uma força especial de tropas internas foi trazida para proteger os trilhos e a infraestrutura da Ferrovia de Belarus. Na noite de 30 de março de 2022, várias pessoas invadiram dois armários de revezamento perto da estação Bábina, no distrito de Babruisk; conseguiram incendiar um deles. Os agentes da lei estavam patrulhando os trilhos na época. Eles abriram fogo, mas a guerrilha conseguiu escapar com segurança.

De acordo com a associação de ex-agentes da lei ByPol, os participantes do plano “Peramoha” (“Vitória”), um plano de mobilização da oposição para derrotar o regime de Aliaksandr Lukashenka, estavam por trás da sabotagem na ferrovia.