2022-02-26
Veículo de guerra russo destruído perto de Kharkiv, 26/02/2022. Foto de Andrey Marienko.

O jornalista Dzmitry Hurnévitch publicou uma resposta fundamentada àqueles que culpam indiscriminadamente a nação belarussa pela cumplicidade no ataque de Putin à Ucrânia. Apresentamos seus argumentos de forma abreviada.

Não há governo legítimo em Belarus desde pelo menos novembro de 2020. Um regime fantoche pró-Moscou governa em Belarus e não resolve mais nada. A grande maioria dos belarussos é contra o regime fantoche. Isso foi demonstrado pelos protestos de 2020, os maiores da Europa em décadas. Belarussos foram mortos, espancados e torturados. Mais de mil pessoas estão nas prisões, cerca de 50 mil passaram por repressões.

O protesto fracassou porque Putin apoiou Lukashenka e se tornou sua única garantia. Depois disso, o terror começou no país, semelhante à década de 1930 (na URSS – Voice of Belarus). As pessoas são presas por curtir ou comentar uma publicação, por qualquer palavra. As estruturas do regime agarram-se a qualquer dissidência, até baniram organizações de ornitólogos e de proteção animal, porque alguém dessas organizações é contra o regime. Todos os dias as pessoas são presas e torturadas em Belarus. Em tal atmosfera, organizar a resistência leva muito tempo. Mas este trabalho continua.

Belarus está sob ocupação. Se o governo é ilegítimo, ninguém tinha o direito de deixar os russos passarem por Belarus. Putin tomou Belarus. Mas ele permite que Lukashenka se intitule presidente da Belarus independente.

O povo belarusso não apenas se preocupa com a Ucrânia e reza por ela. Belarussos coletam dinheiro para os refugiados, o exército ucraniano, belarussos servem no exército ucraniano. Jovem belarusso foi o primeiro a morrer no Maidan (em 2014 – Trad.), belarussos morreram pela Ucrânia na guerra.

Os bielorrussos que têm cabeça e consciência compreendem que sem uma Ucrânia livre não existiremos.