2021-06-03
Raman Pratassêvitch.

Oficiais da inteligência grega relataram à mídia local que pelo menos três pessoas não identificadas seguiam Pratassêvitch em Atenas desde sua chegada na conferência econômica em 9 de maio. Após a conferência, em 16 de maio, Pratassêvitch saiu de férias para Creta com sua namorada, onde também estiveram sob a supervisão de, provavelmente, agentes dos serviços especiais belarussos ou russos.

De acordo com um representante do Ministério das Relações Interiores da Grécia, como resultado da análise das gravações das câmeras de vigilância “dos hotéis, de Creta e do aeroporto”, ficou claro que estavam sendo seguidos por oficiais de inteligência com passaportes russos. “Acreditamos que essas pessoas agiram em nome de Belarus e ajudaram a descobrir que Pratassêvitch estava a bordo do avião quando sobrevoou Belarus”, acrescentou.

Os serviços especiais gregos estão indignados, consideram esta operação uma violação das regras não oficiais. O Ministério das Relações Interiores do país está conduzindo sua própria investigação, que pode se tornar parte da resposta europeia geral ao pouso do avião da Ryanair.