2021-06-01
Stepan Latypov
A detenção de Stsiapan Latypau em setembro de 2020.

No dia 1º de junho, teve início o julgamento do morador do bairro Praça das Mudanças, Stsiapan Latypau. Logo durante o tribunal, Stsiapan tentou tirar a própria vida. Ele furou a garganta com uma caneta esferográfica.

Antes de fazer isso, Latypau disse: “O GUBOP (uma das agências de aplicação da lei – nota do editor) prometeu que se eu não assumir a culpa, haverá processos criminais contra meus parentes e vizinhos”. Stsiapan Latypau disse ao pai, antes da tentativa de suicídio, que passou 51 dias em uma cela especial, na qual outros presidiários, em conluio com a administração da colônia, pressionam os “indesejados” e os agentes “não percebem” isso. Isso é feito para desmoralizar uma pessoa ou para forçá-la a assumir a culpa.

Quando os médicos conseguiram entrar atrás das grades, onde Stsiapan estava, já encontraram-no inconsciente. Stsiapan foi hospitalizado e operado. Autoridades disseram que sua vida não estava em perigo. Os médicos estão proibidos de divulgar qualquer informação sobre a condição de Latypau.

Antes do início do julgamento, as testemunhas notaram que Stsiapan estava mancando, tinha o rosto inchado e um olho roxo. Quando o juiz perguntou se Latypau tinha alguma pergunta para o policial que estava no processo como vítima, ele respondeu que tinha. “Vítima, você disse que eu chutei você no rosto”, disse Latypau. – “Olhe para mim. Você teve um inchaço característico em seu rosto, como o meu?” “Não”, respondeu o policial. “Não tenho mais perguntas”, disse Latypau. Então Stsiapan deu a entender aos presentes que havia sinal de chute no seu rosto.

Stsiapan foi detido em 15 de setembro de 2020. O momento de sua prisão foi registrado no vídeo: Stsiapan defendeu um mural com os DJs das mudanças na “Praça das Mudanças” junto com outros moradores do bairro. Vários policiais se aproximaram deles. Stsiapan pediu que se apresentassem. Em vez disso, os policiais torceram os braços de Stsiapan, jogaram-no ao chão e o arrastaram embora.

Uma busca foi realizada na casa de Latypau e ele próprio acabou em um centro de prisão preventiva. Inicialmente, Stsiapan foi acusado de, supostamente, querer envenenar as forças de segurança com ajuda de produtos químicos. No entanto, agora a acusação é completamente diferente: ações que violam grosseiramente a ordem pública e trapaças em uma escala especialmente grande. Não se fala mais sobre envenenamento.

Stsiapan Latypau foi retirado do hospital algumas horas depois da cirurgia, após tentativa de suicídio no tribunal. Ele foi devolvido ao centro de detenção provisória, o que o privou do direito à assistência médica adicional. O “julgamento” de Stsiapan Latypau continuará em 10 de junho.