2022-02-02
Imagem apenas para fins ilustrativos.

O secretário de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da República de Belarus, Anatol Hlaz declarou que no exterior não abrirão assembleias de voto para o referendo constitucional em fevereiro. Ele explicou que o motivo desta decisão foi a falta de funcionários em algumas embaixadas e a epidemia de coronavírus. Além disso, Hlaz convidou os cidadãos que estão fora do país a voltar e votar no local de seu registro em Belarus.

De acordo com várias estimativas, até meio milhão de cidadãos de Belarus estão no exterior, a maioria dos quais com direito a voto.
O Representante Especial de Sviatlana Tsikhanouskaya para as eleições, Aliaksandr Shlyk, pensa que a recusa de abrir assembleias de voto no exterior limita efetivamente as oportunidades da diáspora belarussa exercer os seus direitos.

Em 2020, nas eleições presidenciais em Belarus, os resultados das pesquisas de boca de urna no exterior foram radicalmente diferentes dos resultados oficiais nessas assembleias de voto. Ao mesmo tempo, de acordo com ativistas e observadores de direitos humanos, era mais difícil falsificar os resultados das eleições nas embaixadas do que na própria Belarus.