2021-06-22
The photo is for illustrative purpose only.

De acordo com a informação dos voluntários do centro de direitos humanos Viasná, no dia 19 de junho, a polícia compareceu ao apartamento da família Skarha por causa de um adesivo na janela, com a imagem do brasão histórico Pahônia. O pai, Aleh Skarha, estava em casa. Para forçá-lo a abrir a porta, as forças de segurança desatarraxaram o olho mágico e lançaram o gás no apartamento.

Posteriormente, a polícia deteve sua esposa, Sviatlana, que veio se informar sobre o que havia acontecido com seu marido, e depois sua filha, Yana, a qual a polícia contatou por telefone. Em 20 de junho, um conhecido de Yana, Andrei Yaroshkin, foi detido e compareceu à delegacia para entregar o telefone.

Como resultado, Andrei Yaroshkin foi condenado a 15 dias de prisão por supostamente ter aparecido em um lugar público enquanto estava embriagado. Aleh Skarha recebeu 25 dias de prisão por um “protesto” e desobediência. Segundo os voluntários, o resto da família Skarha já está livre.

A polícia de Minsk confirmou a detenção de Aleh e Andrei. Porém, a informação referente ao uso do gás foi negada pela polícia.