2021-07-29
Andrey Kazimirau.

O tribunal da Rússia permitiu extraditar para Belarus um participante dos protestos de agosto de 2020, Andrei Kazimirau. Anteriormente, o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos (CEDH) proibiu sua extradição, informa o Grupo Helsinque Moscou.

“Desde que a Rússia ratificou a Convenção para a Proteção dos Direitos Humanos e Liberdades Fundamentais, a decisão da CEDH faz parte do campo jurídico da Federação da Rússia e é obrigatória para órgãos estatais, incluindo os tribunais”, disse o advogado de Kazimirau, Illaryion Vassiliyeu.

Ele expressou a esperança de que a Procuradoria-Geral não viole a decisão da CEDH e não execute imediatamente a sua ordem de extradição.

Andrei Kazimirau, residente de Brest, é acusado de participar das manifestações de 9 de agosto de 2020 em Belarus. Ele pode pegar 8 anos de prisão. Durante uma das manifestações, o ativista foi ferido na perna por uma bala de borracha. Em setembro, ao tomar conhecimento do processo criminal, viajou para a Rússia, onde foi detido em 14 de janeiro de 2021. Kazimirau é o único belarusso reconhecido como preso político por ativistas de direitos humanos da Rússia.

Em 22 de julho, soube-se que a Rússia extraditou um lutador de MMA, Aliaksei Kudzin, para Belarus, apesar de uma proibição semelhante pela CEDH. Kudzin está agora na prisão nº 1 de Minsk. O lutador foi secretamente retirado da Rússia.