2021-12-21
Sofia Sapega. Foto: redes sociais.

Sofia Sapega, cidadã russa que foi presa juntamente com o jornalista belarusso Raman Pratassévitch após o polêmico pouso forçado do avião da Ryanair em Minsk, recebeu acusação final. Ela pode pegar, no mínimo, seis anos de prisão, por sete artigos criminais relacionados a protestos em Belarus, incluindo “incitação ao ódio e ameaças contra policiais”. Ela agora está em prisão domiciliar em um apartamento de família, em Lida. Segundo seus parentes, a jovem escreveu um pedido de clemência dirigido a Aliaksandr Lukashenka.

Sapega e Pratassévitch foram detidos em 23 de maio depois que o regime belarusso pousou à força um avião da Ryanair no caminho de Atenas para Vilnius. Após a prisão de ambos, surgiram gravações em vídeo de suas “confissões”. Sapega disse na gravação que editou um canal de Telegram sobre as forças de segurança do regime “Livro Proibido de Belarus”, que publicava os dados pessoais dos funcionários de segurança.

Incidente com o avião da Ryanair causou repercussão nos países ocidentais. Os países da União Europeia, EUA, Canadá e Reino Unido adotaram sanções contra Belarus e proibiram as companhias aéreas desse país de voar para a UE.