2021-08-06

Tal decisão foi tomada pelo tribunal de um dos distritos de Vitsebsk com base nos materiais do departamento regional do GUBOPiK. Além do recurso principal da Internet, foram incluídos na lista de proibidos o canal Telegram “Tribuna.com Belarus”, o chat com o mesmo nome e as páginas nas redes sociais Instagram, Facebook, Twitter, Vkontakte, bem como aplicativos para smartphones .

De acordo com o Ministério das Relações Interiores, os administradores desses sites da Internet “publicaram materiais convocando para atividades extremistas”. De acordo com a lei, agora as pessoas serão responsabilizadas, pelo Código Civil, por publicar e compartihar informações dessas fontes.

Desde 3 de junho, o jornalista do Tribuna, blogueiro e jogador de futebol do clube Krumkatchy, Aliaksandr Ivúlin, está no centro de prisão preventiva. Primeiro, ele foi preso por 30 dias por uma bandeira na janela do apartamento. Em seguida, o jornalista foi acusado de acordo com a seção 1 do art. 342 do Código Penal (“Organização e preparação de ações que violam gravemente a ordem pública, ou participação ativa nelas”). Supostamente, em algum lugar, foi encontrada uma foto de Ivulin na pista durante a marcha, e, com base nisso, ele agora é acusado de “bloquear o tráfego”. O jornalista foi reconhecido como prisioneiro político.

Além disso, o Ministério da Informação bloqueou hoje o site regional ex-press.by. Ele publicava notícias das cidades belarussas Jódzina e Barýssau.