2021-11-04
Centro de detenção na Rua Akrestsina.

Na cela dupla do Centro de Detenção na Rua Akrestsina, desde a noite de 3 de novembro de 2021, dez mulheres detidas por motivos políticos estão emgreve de fome, uma mulher sem-teto está detida na mesma cela.

Em meados de outubro, aumentou a pressão da administração sobre as mulheres da cela nº 15. Todas as roupas de frio que pudessem ser usadas no lugar de colchões expropriados foram tiradas das mulheres. Tudo o que as mulheres não tiveram tempo de segurar foi jogado no lixo. Em seguida, foram tiradas também escovas de dente, absorventes, remédios, máscaras médicas e garrafas de água. Desde 1º de novembro, as mulheres não recebem papel higiênico. As mulheres não são levadas ao banho, as luzes da cela não são apagadas à noite. Há piolhos na cela, eles apareceram em setembro, quando três moradoras de rua foram colocadas na cela de uma vez. Sabão e papel higiênico antes eram disponíveis. Às vezes, quando solicitados a distribuir papel higiênico, os funcionários da prisão respondiam com a proposta de usar camisetas.

As reclusas da cela nº 15 decidiram fazer greve de fome até que todos os requisitos fossem cumpridos: voltar a sair, levá-las ao banho, apagar as luzes das celas à noite, distribuir tudo o que fosse necessário de acordo com as normas, devolver todas as coisas e medicamentos. A jornalista da TV Belsat, Iryna Sláunikava, também está entre as detidas. Lembramos que a jornalista Iryna Sláunikava foi detida junto com seu marido na noite de 29 a 30 de outubro, no aeroporto de Minsk – o casal estava voltando das férias. Eles receberam 15 dias de prisão por “distribuição de materiais extremistas”.