2021-06-13
Anatol Liabedzka.

O político foi detido no dia 14 de maio, quando foi apoiar os acusados no caso de estudantes, e foi condenado a 30 dias. Hoje Anatol deveria ser liberado, mas sua esposa foi informada de que ele não estava no centro de detenção provisória, pois já tinha sido libertado. Mais tarde, soube-se que Liabedzka foi secretamente retirado do centro de detenção na rua Akrestsin e deixado nos arredores de Minsk. Ele chegou em casa de táxi.

Anatol Liabedzka compartilhou com NN.BY suas impressões de estar no centro de detenção provisória.

“Seria muito bom se aqueles que fazem declarações políticas em nome de Belarus apenas visitassem os centros de detenção provisória de hoje. Seria muito interessante, porque o que está acontecendo lá agora é uma violação diária da Constituição atual. Isso é pura tortura de pessoas, se partir da base nos padrões internacionais e na Constituição. É lá que as pessoas se sentem mais desconfortáveis e em perigo hoje. Nem pode ser comparado com as colônias e prisões de Belarus. Quem já passou por processos criminais, está em condições menos ruins”, disse o político.

Anatol falou sobre as condições de detenção no centro de detenção provisória: “Agora, há 15–19 pessoas em celas de dois ou quatro leitos. Houve apenas 4–5 dias em que havia água quente. As pessoas são colocadas em celas onde não há ar, pois tudo está fechado. Fiquei dois dias na cela de castigo, nem sei porque, ninguém explica nada para ninguém lá. Não há travesseiros, fronhas, colchões – nada”.