2021-07-24
Andrei Dynko.

O editor-chefe da revista Nasha Históryia, Andrei Dynko, passou 13 dias na rua Akrestsin. Ele escreveu uma coluna cheia de esperança. Aqui estão algumas citações:

“Sim, o centro na Rua Akrestsin é, de fato, uma instalação de tortura. Tudo é pensado para desumanizar as pessoas. Mas tudo isso pode ser suportado: tanto física quanto moralmente, uma pessoa é mobilizada em tais condições, então, calma. Tenho certeza de que meus colegas também não serão quebrados ou rachados”.

“Quando cheguei ao além, percebi o quão fracamente nós, na mídia, ainda trabalhávamos. A conclusão é a seguinte: agora que o trabalho legal de jornalistas profissionais em Belarus se tornou impossível, todo belarusso deve se tornar um jornalista”.

“Tenho uma nova e querida relíquia – uma garrafa da qual bebi, com a qual me lavei e sobre a qual dormi, usando-a em vez de almofada durante estas 13 noites”.

Dynko foi detido juntamente com Yahor Martsinôvitch e Andrei Skurko, outros funcionários do Nasha Niva, ao qual pertence a revista Nasha Históryia. Eles são acusados de pagamento indevido de contas de serviços públicos para escritórios e uma dívida de 3.000 rubels (cerca de R$6.170 ou 1.000 euros).