2021-08-05
Campo para prisioneiros políticos perto de Slutsk. 2020.

O canal de TV CNN fez uma reportagem sobre o suposto campo de prisioneiros políticos em Belarus.

O campo está localizado em uma floresta a cerca de uma hora de carro de Minsk, perto da vila de Navakólassava, no local de uma antiga instalação de armazenamento de mísseis soviéticos. A área do campo é de mais de 80 hectares. Uma cerca viva de três níveis e novas câmeras de vídeo foram instaladas ao longo do perímetro. O acampamento tem guardas militares e uma placa de proibição de entrada. Há barracas reformadas no território do acampamento, grades e vidros reflexivos nas janelas. Os residentes de Navakólassava chamam o local de “campo” [de concentração].

Os jornalistas não conseguiram ter acesso às instalações internas do campo, por isso não podem alegar que as pessoas já foram alocadas no campo, e a emissora de TV não encontrou evidências diretas de que o prédio estava sendo usado como um campo.

No ano passado, soube-se da construção de outro campo, perto de Slutsk. Vice-Ministro do Interior Mikalai Karpiankou o chamou de “campo para aqueles de cascos especialmente afiados”. Esse campo não foi usado ativamente – os detidos começaram a ser trazidos em 12 de agosto de 2020, mas em 15 de agosto, os prisioneiros foram libertados, e o campo foi fechado em alguns dias.

Opositores belarussos expressaram receio de que o regime de Lukashenka possa recorrer a prisões em massa em 9 de agosto, aniversário dos protestos. Assim, no centro CID da rua Akrestsin em Minsk, as celas são liberadas antes do fim de semana – os presos são transferidos para outras prisões.