2021-07-11

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) nitidamente criticou a violação flagrante das normas internacionais do trabalho em Belarus, na Conferência Internacional do Trabalho anual, realizada em junho de 2021. No seu relatório, o Comitê de Especialistas da OIT, bem como, anteriormente, o Comitê de Liberdade Sindical, mencionou graves violações dos direitos fundamentais dos trabalhadores em Belarus. Muitos trabalhadores foram perseguidos, espancados, presos e demitidos por participarem de manifestações pacíficas contra as eleições presidenciais fraudadas, em agosto passado. Os membros da união estudantil foram expulsos das universidades. Os sindicalistas independentes foram sistematicamente intimidados a abandonar seus postos sob ameaças de perder seus empregos.

A OIT também condenou veementemente a exigência de Aliaksandr Lukashenka de que todas as empresas privadas devessem criar sindicatos em suas empresas sob ameaça de extinção. Isso não é apenas uma violação flagrante do princípio da liberdade de associação, mas também mostra que os sindicatos oficiais não existem para representar verdadeiramente os trabalhadores, mas são órgãos controlados pelo Estado que Lukashenka também usa para monitorar os trabalhadores.