Tsikhanouskaya cria gabinete de transição para defender a soberania de Belarus

Em uma coletiva de imprensa de emergência após a invasão da Rússia na Ucrânia, a líder da oposição belarussa Sviatlana Tsikhanouskaya fez o seguinte anúncio:

“Esta manhã, a Rússia atacou a Ucrânia em violação dos princípios fundamentais do direito internacional. O território belarusso e as Forças Armadas de Belarus estiveram envolvidos neste traiçoeiro ato de agressão.

Lukashenka e seu regime compartilham totalmente a responsabilidade pela guerra com o presidente russo. O líder ilegítimo de Belarus introduziu tropas estrangeiras e fez do nosso país um participante direto do conflito. Isso é traição e traição aos interesses do nosso povo e do Estado belarusso.

Assim, Lukashenka não pode ser considerado um garante da independência e integridade territorial de Belarus.

Eu, Sviatlana Tsikhanouskaya, pelos poderes que me foram conferidos pelo povo belarusso nas eleições presidenciais de 2020, comprometo-me hoje a defender a independência e os interesses nacionais da República de Belarus.

I will act as a representative of the Belarusian people and a guarantor of their rights and freedoms until new elections. I am creating a transitional cabinet as a national authority of the Republic of Belarus.

O líder da National Anti-Crisis Management, PavelLatushka, as Embaixadas Populares de Belarus e a iniciativa BYPOL elogiaram e apoiaram a iniciativa de Tsikhanouskaya. Latushka pediu ainda aos militares de Belarus que não participem da agressão militar contra o povo ucraniano.

Botão Voltar ao topo