2021-07-18
Representantes da FIDH e o senador de Paris, Remy Feraud.

Em Paris, a Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH) realizou uma ação de solidariedade com os detidos ativistas de direitos humanos do Viasná e todos os presos políticos em Belarus. O evento contou com a presença do senador de Paris, Remy Feraud, e CEO da FIDH, Eleanor Morel.

Remy Feraud, em seu discurso, observou que a França deve fazer todo o possível e lutar pela libertação do ativista de direitos humanos Ales Bialiátski e seus colegas presos até que Belarus se torne um país democrático.

Eleanor Morel, em nome da FIDH, exortou as autoridades belarussas a cessar as repressões e a libertar imediatamente todos os presos políticos.

“Esta nova onda de repressão é mais uma prova de que o regime de Lukashenka está conduzindo uma campanha sistemática para silenciar todas as vozes dissidentes restantes e suprimir a sociedade civil em Belarus”, disse Morel.

Ação de solidariedade em Londres, em 18 de julho de 2021. Foto: t.me/belarusy_zarubezhja

Em Londres, perto dos muros da embaixada de Belarus, foi realizada uma ação de solidariedade com presos políticos, ativistas e o povo de Belarus.

A diáspora belarussa na Grã-Bretanha realizou uma manifestação com retratos de prisioneiros políticos. A organização não governamental britânica, Justice for Journalists, juntamente com a Associação de Jornalistas de Belarus, emitiu uma declaração de apoio a jornalistas de meios de comunicação independentes em Belarus.

Ação de solidariedade em Wroclaw, em 18 de julho de 2021. Foto: t.me/belarusy_zarubezhja

Uma manifestação de solidariedade com o povo belarusso também foi realizada em Wroclaw. O tema da manifestação foram os voluntários que ajudaram durante a pandemia no último ano e meio, coletaram ajuda para os que estavam atrás das grades, mantiveram listas de detidos e apoiaram parentes de presos políticos.